Ministro da Saúde do Brasil anuncia oficialmente fim da emergência de covid-19 – MercoPress

Ministro da Saúde do Brasil anuncia oficialmente fim da emergência de covid-19

Sábado, 23 de abril de 2022 – 10:20 UTC


Medida de Queiroga entrará em vigor após período de transição de 30 dias

O ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Queiroga, assinou na sexta-feira a declaração que marca oficialmente o fim da emergência pública de interesse nacional COVID-19, que reconheceu a gravidade da pandemia e permitiu que as autoridades de todas as jurisdições agissem em conformidade.

A nova medida de Queiroga entra em vigor em 22 de maio, o que dá aos afetados uma janela de 30 dias para a transição para o novo estado de coisas. O ministro explicou ainda que esta alteração não vai comprometer as várias ações e alocação de recursos atualmente em curso.

“Mesmo que tenhamos casos de COVID-19, porque o vírus vai continuar circulando, se houver necessidade de atendimento na atenção básica e leitos de UTI, podemos atender”, disse Queiroga a jornalistas.

A decisão do governo brasileiro veio apesar da Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda não ter concordado em anunciar o rebaixamento da pandemia para situação endêmica. Queiroga sublinhou que a sua portaria tratou da extinção da emergência de saúde pública de interesse nacional, sem mencionar nem a pandemia nem a endemia.

Um dos principais impactos do fim da emergência será nas medidas de restrição e prevenção, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, definidas por estados e municípios. “O que muda é a questão de restringir as liberdades individuais de acordo com a vontade de um gestor municipal. Esse tipo de medida não faz mais sentido. A minha expectativa é que essas exigências acabem”, sublinhou Queiroga.

READ  Guia Global Litler - Brasil - 4º trimestre de 2021

Outra consequência da nova medida será o fim da obrigatoriedade de vacinação para entrar em espaços interiores. O ministro criticou essa exigência e destacou que 74% dos brasileiros foram totalmente vacinados.

Sobre as futuras campanhas de vacinação, Queiroga foi descarado: “Ninguém sabe”.

“Vamos vacinar apenas idosos, profissionais de saúde, gestantes, crianças? Com qual vacina? Este nós [already] tenho? Outro com a capacidade de lutar contra variantes? A ciência trará essas respostas…”, acrescentou.

Sobre as autorizações emergenciais concedidas a vacinas e medicamentos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Queiroga admitiu ter sido solicitada uma prorrogação de um ano.

Outra consequência da nova medida é o fim da secretaria criada para o combate ao COVID-19. O secretário de Vigilância Sanitária, Arnaldo Medeiros, anunciou que será criada uma coordenação geral de vírus respiratórios.

Medeiros acrescentou que o ministério vai manter as ações de controle da doença e de outros vírus da síndrome respiratória aguda aguda. “Vamos manter a vigilância de casos, testes, notificação obrigatória, uma síndrome genômica e inflamatória em crianças e adultos e vigilância de emergências de saúde pública”.

Os conselhos de secretários de saúde dos estados (Conass) e municípios (Conasems) questionaram o fim da emergência e pediram um prazo de transição maior de 90 dias.

“Eu sei que [health] secretários de estados e municípios queriam que o prazo fosse maior. Mas veja, o governador Ibaneis Rocha já cancelou o decreto no Distrito Federal e o governador Cláudio Castro fará o mesmo no Rio de Janeiro. Não vejo muita dificuldade para os secretários estaduais e municipais aderirem a ela”, destacou Queiroga.

O Conselho Nacional de Saúde divulgou nota técnica defendendo medidas para uma “transição segura da pandemia para uma futura situação endêmica de covid-19, mantendo as medidas não farmacológicas até que seja atingida cobertura vacinal homogênea de pelo menos 80% da população elegível à vacina. alcançado em todos os estados da federação.”

READ  Modildas vs Brasil: quando, onde, notícias da equipe e como ver na Austrália

Entre as medidas, o conselho, que reúne representantes do poder público, usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e organizações da sociedade civil, recomenda o uso continuado de máscaras em ambientes fechados e lotados, além da “implantação de estratégias para verificar a comprovação de vacinação, principalmente em situações de aglomeração.”

(Fonte: Agência Brasil)

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

DETRASDELANOTICIA.COM.DO PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
Portal On Jack