México e Brasil ficam para trás em esforços anticorrupção, mostra ranking

CIDADE DO MÉXICO, 22 Jun (Reuters) – Brasil e México estão entre os países que registraram as maiores quedas nos esforços anticorrupção, à medida que a pandemia e a inflação diminuíram o combate à corrupção nas agendas públicas na América Latina, de acordo com um ranking divulgado nesta quarta-feira.

O Índice de Capacidade de Combate à Corrupção 2022, publicado conjuntamente pela Americas Society / Council of the Americas and Control Risks, apontou “novos retrocessos para as principais instituições e o ambiente anticorrupção como um todo” nas duas maiores economias da América Latina.

O índice, que avalia 15 países latino-americanos sobre a eficácia com que descobrem, punem e detêm a corrupção, apresentou um “quadro misto” com inflação crescente e COVID-19 distraindo os esforços anticorrupção, segundo o relatório.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

“No geral, a disposição e a capacidade dos governos da região para combater a corrupção parecem ter se estabilizado no contexto de outras preocupações mais imediatas”, disse Geert Aalbers, sócio da consultoria Control Risks e um dos autores do relatório.

O México está classificado em 12º lugar entre os 15, com um dos maiores declínios no índice, já que “o país sofreu reveses em todas as categorias, mas o declínio mais acentuado ocorreu na democracia e nas instituições políticas”, disse o relatório.

Citou a proposta do presidente Andrés Manuel López Obrador de substituir o instituto eleitoral nacional do México por um órgão escolhido pelos eleitores. consulte Mais informação

O Brasil caiu quatro posições para 10, caindo pelo terceiro ano consecutivo. O presidente Jair Bolsonaro entrou em confronto repetidamente com o judiciário brasileiro. consulte Mais informação

A indignação com as acusações de corrupção foi um fator determinante nas eleições que demitiram representantes na Colômbia, Costa Rica, Honduras, Peru, Chile e Equador nos últimos dois anos.

READ  Ignorando tensões com a Rússia, Brasil celebra relações com a Ucrânia

A Guatemala viu o maior declínio no índice de corrupção, após a demissão do procurador-geral de um promotor anticorrupção. consulte Mais informação

A República Dominicana teve o maior salto, enquanto o Uruguai ficou em primeiro lugar pelo terceiro ano consecutivo.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem de Brendan O’Boyle, edição de Rosalba O’Brien

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

DETRASDELANOTICIA.COM.DO PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
Portal On Jack