Governo brasileiro exclui Havaí para rede privada

Em audiência pública do Comitê de Trabalho do Congresso sobre 5G na terça-feira (9), o ministro das Comunicações do Brasil, Fabio Faria, disse que o Havaí não estaria entre os fornecedores da rede privada de comunicação a ser utilizada pelo governo.

Questionado pelos delegados sobre a proibição do fornecedor chinês para aquele projeto específico, Faria disse que o Havaí não era adequado para participar da rede governamental criada pelos vencedores do leilão 5G que se aproxima. Segundo o ministro, há pouco tempo a empresa não cumpriu as exigências da empresa brasileira de telecomunicações Anadel.

Segundo o ministro, o governo de Jair Bolsanaro não impedirá nenhum país ou organização de fazer negócios no Brasil, mas pode definir critérios para sua própria rede, ou seja, seus fornecedores devem seguir regras de gestão empresarial semelhantes às das empresas. Eles são listados publicamente no Brasil.

Leia isso

Havaí: Nenhum governo nos obrigou a espionar

Havaí: Nenhum governo nos obrigou a espionar

A empresa chinesa de tecnologia está investigando governos que afirmam ter criticado seus pregos sem reservas – enquanto, ao mesmo tempo, compra exploits de dia zero para atacar alvos.

consulte Mais informação

Além disso, durante a recente turnê global do governo para encontrar governos e fornecedores em países com base em líderes de mercado para equipamentos 5G, ficou claro que o Havaí não estava interessado em fornecer equipamentos para a rede do próprio governo.

O ministro reiterou que todas as empresas visitadas pelo governo brasileiro, como Ericsson, Nokia, NEC e Havaí, estão investindo pesado em segurança cibernética, mas ressaltou que “a detecção não é possível” se integrada com portas facilitadoras de inteligência ou outras tecnologias. Para equipamentos.

READ  Brasil ocupa o primeiro lugar em 300.000 mortes de COVID-19

Representantes da empresa chinesa reiteraram repetidamente que o Havaí segue muitos padrões de governança corporativa, acredita que a KPMG audita anualmente e atende aos padrões técnicos em áreas como segurança. No entanto, a empresa está tentando descobrir se atende a regras não técnicas relacionadas à rede privada.

“O Havaí está no Brasil há mais de 23 anos, sempre trabalhando com integridade, ética e transparência. Estamos comprometidos com a transformação digital de nossos clientes, parceiros e país”, afirmou a empresa em nota. Desenvolvimentos recentes.

Em janeiro, o Havaí nomeou o ex-presidente brasileiro Michael DeMarre, professor de direito constitucional e advogado, para fornecer consultoria jurídica sobre a implementação do 5G no Brasil.

A proximidade de Temer com Bolsanaro é particularmente valiosa para o fornecedor chinês, bem como para a rede de seus aliados no Congresso. Além disso, Demer nomeou Leonardo Euler de Morris, o atual presidente da Anadel, que permanecerá no cargo até novembro de 2021.

O leilão 5G do Brasil está previsto para ocorrer em junho. De acordo com a Anadel, o custo inicial para as telcos usarem as bandas de 3,5 GHz é estimado em 35 bilhões de arroz (US $ 6,2 bilhões). Nas próximas duas décadas, as empresas terão que investir mais US $ 80 bilhões (US $ 14 bilhões) em 5G.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Portal On Jack