Na última sessão da Câmara de Vereadores de São Joaquim, que aconteceu no dia 13 de Fevereiro, mais uma vez os ânimos ficaram quentes no plenário, quando os vereadores negaram, por 5 votos a 4, que as sessões de São Joaquim sejam reproduzidas ao vivo pela internet, por canais do YOUTUBE e FACEBOOK.

No requerimento Nº/8 de 2017, de autoria do vereador Joaquim Costa Borges Jr(PDT), pedia um link para transmissão AO VIVO das sessões junto ao portal da Câmara, também pelo YOUTUBE e FACEBOOK, tendo em vista a liberação também para outros meios de comunicação realizar essa transmissão.

Os vereadores Guga, Guinho Biolo, Clodoaldo Costa e Admir Nunes votaram a favor das transmissões ao vivo, já os vereadores Ilton Carvalho, Dalton Nunes, Roni e Serginho votaram contra, como na votação deu empate, o Presidente da Casa, Carlinhos Fernandes votou também negando o requerimento.

O vereador Joaquim Guga, autor do requerimento, explica que pediu essa forma de transmissão AO VIVO, para que a população de forma geral tenha acesso as sessões, pois muitos não podem estar presentes para participar e acompanhar em tempo real o que acontece na Câmara, “Isso é para descaracterizar os rumores em que os Vereadores somente vem brigando,  deixando gravado para assistir posteriormente, sendo também um anseio da população de poder acompanhar as sessões por essa tecnologia” explica Guga.

“Eu até abro mão da autoria do pedido, eu só quero que aconteça, eu acho estranho alguns vereadores dizerem que querem, daí votaram contra o requerimento, o documento era simples e claro, para transmitir através de um link na câmara, eu queria o vivo para que não houvesse cortes nem edições, não intendo qual a razão que votaram contra, era simples, eu acho que a questão é porque foi eu que pedi, nós os vereadores de minoria que pedimos, mas se a questão for para o Presidente fazer, eu abro mão da autoria, eu não discuto força e nem voz, quero que aconteça”  conta Guga.

O Presidente da Câmara, Carlinhos Fernandes, que concedeu o voto de minerva, onde negou o requerimento, deu sua explicação, onde disse que chamou o Vereador Joaquim Costa Borges, afim de tentar entrar em um consenso, explicando a situação do requerimento, mas não tendo um acordo, acabou votando contra o pedido, “Eu expliquei para ele, que tínhamos que criar uma comissão, para analisar a forma de publicação com transparência e regras dentro das leis municipais, só que o Guga não quis ouvir, eu li e ele simplesmente não aceitou, então vendo a questão a questão de discriminação dos deficientes, como surdos e mudos, se nós fizéssemos, essa pessoas poderiam entrar com uma ação sobre a câmara” explica Carlinhos.

Ainda segundo o Presidente, essa questão é de seu interesse, pois quer achar uma forma e ser estudado como poderão ser transmitidas as sessões, “Eu também quero, eu falava na campanha e não retiro minha palavra, eu quero achar uma forma para levar isso as pessoas” finaliza Fernandes.