Temos a absoluta compreensão da necessidade de uma parceria do governo federal e estadual e viemos aqui no sentido de reafirmar nossa solidariedade e vamos sim somar esforços com os municípios e buscarmos restabelecer a normalidade da situação”. A declaração é do ministro da Integração Nacional Helder Barbalho, após sobrevoar de helicóptero áreas atingidas pelaw cheias em Lages, Correia Pinto e Otacílio Costa.

Acompanhado do ministro do Desenvolvimento Social e Agrário Osmar Terra e do governador Raimundo Colombo, o ministro disse que o objetivo a partir de agora é a construção conjunta dos planos de trabalho que demandarão as futuras intervenções.

“Nós próximos dias teremos de fato o volume de recursos necessários para atender estes municípios”, reiterou Helder Barbalho. O montante de recursos necessários para recuperar estradas, pontes, bueiros, escolas, postos de saúde e estruturas públicas diversas é oficialmente desconhecido.

Só o município de São José do Cerrito, por exemplo, o prefeito Arno Marian indica a necessidade de R$ 5 milhões para recuperar os estragos. O município continua sem acesso pela BR-282, mesmo estando há quatro dias sem chuvas. Uma queda de barreira isolou o município e já começam a faltar suprimentos básicos como alimentos, gás, combustíveis e até o pagamento dos aposentados está atrasado.

O governador Raimundo Colombo terá uma nova reunião nesta terça-feira em Brasília, com o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão Dyogo Oliveira onde vai reforçar pedido de recursos para infraestrutura. E antecipou que o governo do Estado também irá aportar recursos para reconstrução de pontes, bueiros e estradas.

Colombo estuda liberar cotas de combustível para os municípios mais atingidos usarem máquinas próprias e iniciarem a recuperação de estradas. No caso de Lages, segundo o prefeito Antônio Ceron, 2.500 casas tiveram algum tipo de dano pelas chuvas.

 

Prefeitos acertam ajuda mútua dos municípios

 

O presidente da Amures prefeito de Otacílio Costa Luiz Carlos Xavier acertou com o prefeito de Lages Antônio Ceron a distribuição de donativos como roupas, calçados e cobertores para famílias que ainda enfrentam dificuldades no interior da região.

Segundo levantamento realizado pela equipe da Amures nesta segunda-feira, mais de 400 famílias ainda precisam de donativos. As doações estão sendo recebidas na sede da Amures, na rua Otacílio Vieira da Costa, 112, Centro de Lages e passarão por triagem para ser repassados aos municípios.

Parte dos donativos arrecadados pela prefeitura de Lages que estão no ginásio Jones Minosso, também serão enviados para os municípios de interior a partir desta terça-feira. Os beneficiados serão atingidos pelas chuvas em Anita Garibaldi, Bom Retiro, Cerro Negro, Otacílio Costa, Palmeira, Rio Rufino e São José do Cerrito.

 

Municípios

N° Famílias Necessitadas

Anita Garibaldi

100

Bom Retiro

20

Cerro Negro,

50

Otacílio Costa

100

Palmeira

20

Rio Rufino

20

São José do Cerrito

100

 

 

Pedido de ajuda da Amures e da deputada Carmen Zanotto

 

A deputada federal Carmen Zanotto e o presidente da Amures Luiz Carlos Xavier entregaram ao ministro da Integração Nacional Helder Barbalho, um ofício solicitando ajuda para recuperação dos estragos causados pelas chuvas nos municípios que decretaram situação de emergência.

O documento aponta que a Serra Catarinense foi duramente castigada pelas intempéries das últimas semanas, com fortes chuvas acompanhadas de ventos de mesma intensidade e que resultaram em danos e prejuízos que não são superáveis ou suportáveis pela estrutura financeira ou de equipamentos dos municípios.

Indica que foram registrados desastres naturais que resultaram em famílias desabrigadas, desalojadas, ilhadas e comunidades inteiras isoladas devido a destruição e interdição de vias municipais, estaduais, federais.

Pontes, bueiros, queda de vegetação, deslizamentos de pistas, quedas de barreiras e eventos adversos naturais que deixaram um cenário vulnerável obrigando os prefeitos a decisões históricas. Como antecipar férias escolares de meio de ano por falta de escolas que ficaram embaixo d’água, unidades de saúde sem atendimento e transporte escolar interrompido por falta de segurança e trafegabilidade nas vias.

Os prefeitos e a parlamentar pediram ao ministro ajuda humanitária e ou recursos financeiros para restabelecer a situação de normalidade, uma vez que na Serra Catarinense o inverno é muito rigoroso e centenas de famílias encontram-se em situação de extrema vulnerabilidade.

Para agilizar estes procedimentos, uma capacitação de dois dias começou a ser realizada nesta segunda-feira na ADR de Lages com técnicos do Ministério da Integração Nacional, Defesa Civil do Estado e dos municípios. O objetivo é agilizar as documentações dos decretos de situação de emergência focado na liberação de recursos federais.

Oneris Lopes

Comentários no Facebook